CRECI/PR 18402
CNAI 05154
Telefones
(42) 3273-5267
(42) 99977-6442
Negócio: Tipo do Imóvel: Dormitórios: Cidade: Bairro Preço  
de a  

Arrendamento
Investimento
Locação
Na Planta
Temporada
Venda
Solicitar um Imóvel







 
ARTIGO: SURGIMENTO OU SUPRESSÃO DE DIREITOS PELA CONDUTA
Publicado em 28/03/2018
O valor do aluguel é de livre convenção pelas partes, vedada a sua estipulação em moeda estrangeira e a sua vinculação à variação cambial ou ao salário mínimo. Também é de livre escolha das partes o índice que será utilizado para sua correção do valor. A lei veda sua correção em intervalo inferior a doze meses. Considerando o atual cenário econômico, se percebe em muitos casos que o locador para manter o contrato tem deixado de corrigir o valor, não exercendo seu direito. Ex: O contrato prevê duração de 36 meses, com correção anual. Ao final de 12 meses é mantido o valor para o próximo período. Assim agindo, poderia o locador no futuro exigir esta correção cumulada com o período posterior? Em regra, não. Se não foi expressamente ressalvado este direito, a conduta do locador quando deixa de exigir a correção do aluguel gera no locatário a expectativa que não pode ser alterada no futuro. A doutrina entende que a boa-fé objetiva (conduta) produz efeitos no tempo, efeitos positivos e negativos, ou seja, podem criar ou suprimir direitos, sob pena de quebra da confiança que adveio pela conduta. Parte do pressuposto de dever de agir com lealdade, respeito e probidade em relação às expectativas da parte adversa, premissa da teoria dos atos próprios, baseada na proteção das legítimas expectativas das partes. Logo, veda-se a prática de atitudes incoerentes pelos sujeitos da relação jurídica quando estas venham a romper a crença do outro, o qual acreditava que os comportamentos anteriores seriam mantidos. Assim, se o locador deixa de exercer uma posição jurídica por um período, este não exercício gera a supressio (supressão). Esclarece-se que a lei não estipula quanto tempo seria necessário para que isso ocorra, dependendo de análise de cada caso. De outro lado, caso tenho ocorrido reajuste do aluguel em valor superior ao previsto no contrato, e se o locatário, sem o impugnar, paga este novo valor por certo tempo, aceitando-o ainda que tacitamente, faz incidir a chamada surrectio (surgimento de um direito anteriormente não firmado), e com isso, não poderá no futuro requerer a devolução do valor que pagou, ainda que acima do previsto inicialmente no contrato. Vale lembrar que a correção do aluguel mencionada é aquela prevista durante o prazo previsto para o contrato, pois se vencido este prazo, poderá ocorrer a reajuste de modo livre, não mais estando vinculado ao índice.

Fonte:http://www.crecipr.gov.br/news/ultimas-noticias/1206-artigo-surgimento-ou-supressa-o-de-direitos-pela-conduta
 
Voltar

Banco do Brasil
Banco Itaú
Banco Real
Bradesco
Caixa
Citibank
Santander
Unibanco


EZEQUIEL RODRIGUES Corretor de Imóveis
COMPRA - VENDA - LOCAÇÃO - AVALIAÇÃO MERCADOLÓGICA- REGULARIZAÇÃO- FINANCIAMENTOS IMOBILIARIOS

CRECI/PR 18402
CNAI 05154


Endereço:
Rua Manoel Ribas, 117 - Sala 01 - Centro
Telêmaco Borba - Paraná
CEP 84261-080
Atendimento ao Público:
Segunda à Sexta das;
09:00 às 12:00 e 13:30 às 18:00


Redes Sociais:

Copyright © Todos os direitos reservados a
EZEQUIEL RODRIGUES Corretor de Imóveis
Me Chame no WhatsApp